Ouça nossa Rádio

DADOS HISTÓRICOS

Dados históricos

 

Guarabira, segundo alguns entendidos da língua tupi-guarani, quer dizer berço das garças, “guará-pora”, ou “bira”, isto é, moradia dos guarás. Alguém é da opinião que o vocábulo proceda do termo indígena “guirabira”, isto é, árvore dos pássaros. Há outra versão – penso menos aceitável – que naquele tempo, em virtude da grande quantidade de embira existente na região, os guarás ali se deliciavam. Certo é que havia uma lagoa que fora aterrada onde se encontravam variadas aves onde hoje é a Avenida Dom Pedro II. A cidade está situada em terreno que não é plano, circuncidado de montes, formando uma espécie de cordilheira, à margem de um pequeno rio.

No século XVI, reinando D. Felipe II, o senhor Duarte Gomes da Silveira teve notável influência nas remotas origens de Guarabira. Durante o domínio espanhol Duarte Gomes iniciara, nas férteis caatingas em Quandús, perto de Araçagi, a pecuária e latifúndios. Nascera em Olinda, filho de pais portugueses chamados Pedro Alves da Silveira e Maria Gomes Bezerra. Entre 1586 e 1600, em virtude de seus trabalhos, Duarte Gomes recebeu o título de Capitão Mor da Serra de Cupaoba, sendo a sua primeira autoridade. Era católico fervoroso, de sentimentos nobres, filantropo e justiceiro.

Também digno de relevo no fim das guerras dos Potiguaras (1578) foi o jesuíta Pe. Gaspar Samperé, engenheiro arquiteto espanhol, especialista em fortificações militares, que veio em missão de paz da Vila de Natal para Cupaoba e Quandús. Sem armas de espécie alguma, o padre viajara a pé para a pacificação Potiguar, apenas revestido da couraça da fé, transformando os valentes e rebeldes selvagens em ovelhas mansas e fiéis.

Aos 15 de maio de 1730, o Pe. João Milanês edificou uma capela cujo orago era Nossa Senhora da Conceição, no local onde atualmente existe a Matriz Nossa Senhora da Luz. Atribui-se o motivo da substituição do nome da padroeira para Nossa Senhora da Luz a uma promessa que fizera José Rodrigues Gonçalves da Costa, natural do distrito de Beiriz (Portugal). Depois – pouco mais de um século – o templo mui deteriorado, passou a ser Igreja Matriz, com o título de Nossa Senhora da Luz, tendo como primeiro pároco Pe. José Pereira de Araújo.

Conta-se que a 1º de novembro de 1755, com o grande terremoto de Portugal que só em Lisboa matou mais de 40.000 pessoas, destruindo a cidade, José Rodrigues Gonçalves da Costa, tomado de pânico, fugiu de Pôvoa de Varzin, província de Porto. Católico como era, afirmou junto a Nossa Senhora da Luz, padroeira de sua terra Beiriz, que mudaria de Portugal para onde não houvesse tremor de terra, conduzindo a família e a imagem de Nossa Senhora da Luz a quem erigiria uma ermida. Assim fez, cumprindo sua promessa, escolhendo o Brasil, dentro do Brasil a Paraíba, e nas terras desta, Guarabira. A primeira casa de oração era de taipa, mandada construir por ele onde oficiava seu filho Pe. Cosme.

Em 1820, tendo D. João VI jurado a Constituição Portuguesa, levantou-se um motim e em sinal de protesto, muitos pegaram em armas. Os revoltosos, reunidos em Cuitegí, atacaram Alagoa Grande e avançaram até Areia onde morreu a questão. Em seguida, por força da lei de 29 de novembro de 1832, foi oficialmente constituído em nosso território o Distrito de Paz. Por lei nº 17, de 27 de abril de 1837, foi ereta a vila com o nome de “Independência”, desligando-se então da “vila de Bananeiras” assim como a Paróquia Nossa Senhora da Luz, que teve como primeiro Pároco o Pe. José Pereira de Araújo. Dali por diante inúmeros padres se sucederam no cuidado pastoral desta igreja paroquial:

 

Monsenhor Walfredo dos Santos Leal (1884-1904)

Padre Inácio de Almeida (1904-1911)

Monsenhor Emiliano de Cristo (1933-1967)

Padre Rui Barreira Vieira (1945)

Padre José Epaminondas de Araújo (1945-1946)

Padre Manuel Palmeira da Rocha (1948-1949)

Padre Celestino Grillo (1977-1984)

Monsenhor Luís Albert Pescarmona (Atualmente)

Padre Cristiano Muffler (1987-1991)

Monsenhor José Nicodemos Rodrigues de Sousa (1991-2007)

Padre Paulo José de Lima (2007-2011)

Padre Adauto Tavares Gomes (2011-2016)

Padre Joanderson Marinho de Lira (2016-2017)

Padre Kleber Rodrigues Oliveira (2017- Atualmente)